LEITURAS

Ler é muito importante ! Leia sempre! Leia Hoje!
EXPOSIÇÃO, EXIBIÇÕES E MOSTRAS

HERREMAN, Yani. Exposição, Exibições e Mostras. In: ICOM. Como gerir Museus. ( P. 99- 108). Disponível em: <https://www.sisemsp.org.br/blog/wp-content/uploads/2012/09/Manual-Como-gerir-um-museu-ICOM-Unesco.pdf>.Acessado em: 18 de nov. 2019.

PLANEJAMENTO E GESTÃO DE EXPOSIÇÕES EM MUSEUS

Werneck, Ana; Maria Azeredo Furquim; Costa, Thiago Carlos; Pereira, Angelina Gonçalves de Faria. Planejamento e Gestão de Exposições em Museus: Caderno 03. Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Cultura/Superintendência de Museus e Artes Visuais de Minas Gerais, 2010. 28p. Disponível em: <http://www.cultura.mg.gov.br/images/2015/Sumav/miolo_planejamento_exposicao_1.pdf>. Acessado em: 18 de nov. 2019.

PLANEJAMENTO E GESTÃO DE EXPOSIÇÕES EM MUSEUS

Museums and Galleries Commission. Planejamento de Exposições / Museums and Galleries Commission; tradução de Maria Luiza Pacheco Fernandes. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Vitae, 2001. – (Série Museologia, 2). Disponível em: . Acessado em: 18 de nov. 2019. Disponível em: <http://www.usp.br/cpc/v1/imagem/download_arquivo/roteiro2.pdf> . Acessado em: 20 fev.2020.

PLANEJAMENTO E GESTÃO DE EXPOSIÇÕES EM MUSEUS

BALDIN, Renato. SP: SISEMSP. Disponível em: . Acessado em: 18 de nov. 2019

PARA FAZER UMA EXPOSIÇÃO

IBRAM. Para fazer uma exposição. Brasília, DF: IBRAM, 2017. Série Caminhos da Memória, 1. 88p. Disponível em: <https://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2017/06/Caminhos-da-Mem%C3%B3ria-Para-fazer-uma-exposi%C3%A7%C3%A3o1.pdf>. Acessado em: 18 nov. 2019.

MANUAL DE ACESSIBILIDADE AOS PRÉDIOS RESIDENCIAIS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

CAMISÃO, Verônica. Manual para acessibilidade aos prédios residenciais da cidade do Rio de Janeiro. Disponível em: < http://www.ibam.org.br/media/arquivos/estudos/manual_acess_rj.pdf >. Acessado em: 18 de nov. 2019

MAST COLLOQUIA - PUBLICAÇÃO


Publicações desenvolvidas pelo Museu de Astronomia e Ciências Afins ( MAST)

OUTROS TEMAS

SUBSIDIO PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUSEOLÓGICO

IBRAM. Coordenação de Acervo Museológico – Camus ( Org.) .Subsídios para a elaboração de Planos museológicos. 113p. Disponível em:<https://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2017/06/Subs%C3%ADdios-para-a-elabora%C3%A7%C3%A3o-de-planos-museol%C3%B3gicos.pdf>. Acessado em 29 fev.2020.

CONCEITOS -CHAVES DE MUSEOLOGIA

Desvallées, André, e François Mairesse, eds. 2013. Conceitos-chave de Museologia. Tradução de Bruno Brulon Soares e Marilia Xavier Cury. ICOM. Armand Colin.

ARTE E MERCADO

Greffe, Xavier Arte e mercado / Xavier Greffe ; [organização Teixeira Coelho] ; tradução Ana Goldberger. - 1. ed. - São Paulo : Iluminuras : Itaú Cultural, 2013. 366

BIBLIOGRAFIAS:

Convenções

  • Convenção para a Proteção de Bens Culturais em caso de Conflito Armado (1954) e os seus dois Protocolos (1954 e 1999);
  • Convenção Relativa às Medidas a Adotar para Proibir e Impedir a Importação, a Exportação e a Transferência Ilícitas de Propriedade de Bens Culturais (1970);
  • Convenção para a Proteção do Património Mundial, Cultural e Natural (1972);
  • Convenção sobre a Diversidade Biológica (1992);
  • Convenção do UNIDROIT sobre Bens Culturais Roubados ou Ilicitamente Exportados (1995);
  • Convenção Sobre a Proteção do Património Cultural Subaquático (2001);
  • Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial (2003);
  • Convenção sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais (2005);
  • Pacto Internacional sobre os Direitos Económicos, Sociais e Culturais (1966);

Recomendações

  • Recomendação sobre os Princípios Internacionais Aplicáveis a Escavações Arqueológicas (UNESCO, 1956);
  • Recomendação Relativa aos Meios Mais Efetivos de Tornar os Museus Acessíveis a Todos (UNESCO, 1960);
  • Recomendação Relativa às Medidas a Adotar para Proibir e Impedir a Importação, a Exportação e a Transferência Ilícitas da Propriedade de Bens Culturais (UNESCO, 1964);
  • Recomendação sobre a Proteção, no Plano Nacional, do Património Cultural e Natural (UNESCO, 1972);
  • Recomendação relativa ao Intercâmbio Internacional de Bens Culturais (UNESCO, 1976);
  • Recomendação para a Proteção dos Bens Culturais Móveis (UNESCO, 1978);
  • Recomendação sobre a Salvaguarda da Cultura Tradicional e Popular (UNESCO, 1989);

Declarações

  • Declaração Universal dos Direitos Humanos (1949);
  • Declaração dos Princípios de Cooperação Cultural Internacional (UNESCO, 1966);
  • Declaração Universal sobre a Diversidade Cultural (UNESCO, 2001);
  • Declaração sobre a Destruição Intencional de Património Cultural (UNESCO, 2003);
  • Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas (2007).
  • ALMEIDA, Cícero Antônio F. de. Plano Museológico – Marco Regulatório da Gestão Museal no Brasil. 
  • SECRETARIA DE CULTURA. Seminário Internacional sobre Gestão Museológica: Questões Teóricas e Práticas [2012: Brasília, DF] realizado pelo Museu Nacional do Conjunto Cultural da República; organizador Wagner Barja. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2013. (Série obras em parceria; n.7).
  • LORD, Gail; MARKERT, Kate. The Manual of Strategic Planning for Museums. Plymouth: AltaMira Press, 2007.
  • IBRAM. Plano Museológico: Implantação, Gestão e Organização de Museus. Brasília, DF: MinC/Ibram, 2008. (3º Fórum Nacional de Museus, 7 a 11 de julho de 2008 – Florianópolis, SC). Disponível em: < http://pt.slideshare.net/lpcufpe/apostila-plano-museolgico > . Acessado em 20 mar.2020.
  • SERRA, Filipe. Práticas de Gestão nos Museus Portugueses. Lisboa: Universidade Católica Editora, 2007.
  • STUART, Davies. Plano Diretor. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Fundação Vitae, 2001.
  • VALENCIA, Paco Pérez. Tener un Buen Plan – La Hoja de ruta de toda colección: el plan museológico. Espanha, Astúrias: TREA, 2010.

 

SITES:

Visit Us On YoutubeVisit Us On FacebookVisit Us On Twitter